Aproveite a Festa Junina com Alimentação saudável.

festajunina

Festa Junina

Essa é uma das épocas mais esperadas do ano! Regada a muita música, diversão e claro, comidas típicas. Pé de moleque, maçã do amor, cocada, pinhão, vinho quente, quentão, milho verde, canjica, arroz doce, amendoim, paçoca, pamonha, tapioca… Fugir dessas tentações é quase impossível, então o jeito é não exagerar na quantidade e optar por aquelas mais ricas em nutrientes.

 

Alguns alimentos muito consumidos nessa época são:

Pinhão: Por ser rico em manganês e magnésio, auxilia no controle do colesterol e diabetes, além de agir contra a fadiga e estimular a libido.

Alimentos à base de milho: comidas como bolos, pamonha, pipoca e canjica são ricos em ácido fólico, que auxilia na prevenção de doenças cardíacas. O milho também contém a vitamina B1, que ajuda na memória, por atuar nos impulsos nervosos que fazem as transmissões entre os neurônios.

Vinho quente: preparado com vinho tinto, auxilia na prevenção de doenças cardiovasculares por possuir flavonóides e ação antioxidante. O vinho também aumenta o colesterol bom (HDL) e pode diminuir os níveis de açúcar no sangue, além de reduzir a pressão arterial.

Amendoim: Rico em antioxidantes, como a vitamina E, é considerado um alimento coadjuvante na prevenção do câncer e de doenças cardiovasculares.

Pipoca: Rica em fibra insolúvel, que é responsável pelo estímulo do bom funcionamento intestinal. Contém magnésio que, entre outras funções, é o mineral aliado das mulheres que lutam contra os sintomas da tensão pré-menstrual, pois tem efeito relaxante.

Tapioca: rica em carboidratos, porém, o valor calórico varia de acordo com o tipo de recheio. Melhor optar por recheios de frutas, evitando combinações com muito açúcar, leite de coco e leite condensado.

 

Brunella Passinato

Nutricionista Clínica e Esportiva

Atuação: Hospital de Urgências de Goiânia

salmao

Um estudo recém-concluído na Universidade de São Paulo reforça a necessidade de votar mais peixe na dieta. Durante oito semanas, voluntários foram incentivados a ingerir diariamente cápsulas de ômega-3, gordura boa encontrada nos pescados. Ao final desse período, os cientistas notaram um aumento na concentração de moléculas grandes de HDL, fração que mais ajuda a limpar o colesterol das artérias. Tem mais notícia boa. A concentração de um tipo específico de LDL caiu. E por que isso empolga? “A partícula está associada ao desenvolvimento e ao agravamento das placas que entopem os vasos”, explica a nutricionista Flávia de Conti, uma das autoras da experiência. Com essas alterações na corrente sanguínea, há menor probabilidade de sofrer problemas cardiovasculares. E saiba o que é preciso se empanturrar de peixe para conquistar tanta vantagem. Comer três filés por semana seria o suficiente.

MAIS FONTE DA GORDURA DO BEM

Cavala: de 1,8 a 5,1
Arenque: 1,2 a 3,1
Salmão: de 1 a 1,4
Atum: 0,5 a 1,6
(gramas de ômega-3 por 100 gramas de peixe)
Outros produtos que podem levar o grão:

Barrinhas de cereais, pães, bolos, salgadinhos, biscoitos e macarrão.

Fonte: Revista Saúde

sorgo-blog-nutricao-joyce-2

Uma porção de antioxidantes, muitas fibras e quantidades ínfimas de açúcar e sódio: essa é a receita básica do sorgo, grão ainda pouco popular por aqui. Mas seu nome tem tudo para ficar conhecido. É que a Embrapa Agroindústria de Alimentos decidiu usá-lo em vários itens, com destaque para um cereal matinal. Segundo engenheiro agrônomo Carlos Piler, coordenador do projeto, o novo produto seria um prato cheio para a saúde. “Ele pode auxiliar no controle da obesidade, do diabete e de doenças cardiovasculares”, justifica. Além disso, é isento de glúten. Então pode ser consumido por quem possui intolerância a essa proteína.

O que tem o sorgo?

Calorias – 344 cal
Proteínas – 11,1 g
Gorduras – 3,7 g
Carboidratos – 67.4%
Cálcio – 20 mg
Ferro – 2,7 mg

Fonte: Revista Saúde

CORACAO DE GALINHA

 

Essa é sua parte preferida do churrasco? Então fique esperto. Pesquisas conduzidas na Universidade Federal do Rio Grande do Norte indicam que comer coração de galinha pode nos expor à toxoplasmose, doença causadora de cegueira e danos neurológicos. Mas, felizmente, o risco de transmissão do parasita cai bastante se o alimento estiver bem assado. O biólogo Valter Ferreira Neto, que orientou o trabalho, dá outra dica para escapar do perigo: “Evite comer essa carne em locais desconhecidos”.

Fonte: Revista Saúde

 

Água-mineral-e-flúor

04. BEBA ÁGUA!

Saiba os benefícios que essa maravilha natural traz para a saúde e boa forma

Fonte de sais minerais, a água auxilia no bom funcionamento do organismo em diversas áreas como a digestão, a absorção e a excreção de substâncias, regulando também a temperatura corporal. A nutricionista Cinthia Julião explica a grande importância desse líquido no dia a dia.

Consumir para desintoxicar

A água é uma fonte aliada na hora de mandar as toxinas embora, pois quanto mais bebemos, mais eliminamos substâncias nocivas pelo suor e pela urina, o que favorece na perda de peso. “O ideal é tomar, no mínimo, 2 litros de água por dia. Além de hidratar nosso corpo, a água ajuda a desintoxicar o organismo.

Quantidade diária

O ideal é ingerir 2 litros de água por dia, mas isso pode variar. Para calcular a quantidade certa é preciso levar em conta a rotina diária de cada pessoa: multiplique 35 ml pelo seu peso e terá o tanto mínimo da ser ingerido diariamente.

Fuja do excesso!

Tudo em exagero faz mal. Se tomar, por exemplo, 4 litros de água por hora pode-se ter hiponatremia, que é quando falta sal no sangue, podendo causar sérios problemas, como convulsão. Outro ponto negativo é que se a pessoa ingerir uma grande quantidade de água, ela elimina não somente líquido, mas também substâncias importantes do organismo.

Parceira da dieta

Além de possuir várias vantagens para a saúde, a água ainda contribui para a dieta. Ela ajuda a diminuir a retenção de líquido e, consequentemente, favorece a redução do peso. Para quem quer emagrecer, o ideal é tomar 2 a 3 copos (até 600 ml) meia hora antes das refeições, pois o hábito irá controlar o apetite.

A água gelada se encaixa no grupo dos alimentos termogênicos, que são aqueles que aceleram o metabolismo. Porém, somente ela não emagrece. A cada 500 ml de água gelada se perde 17 calorias, um valor que não é representativo.

Além disso, uma pesquisa da Universidade Charité, de Berlim, comprovou que beber um litro de água a mais por dia dá a sensação física de saciedade e acelera o metabolismo, secando até 2Kg quando se está fazendo uma dieta.

Happy-Old-People

De acordo com dados do IBGE revelados em dezembro de 2014, a expectativa de vida ao nascer para homens e mulheres atingiu 74,9 anos, três a mais do que o levantamento de 2004. O mais recente relatório da ISAPS (Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica) cita que o Brasil ultrapassou os EUA em número de cirurgias plásticas, assumindo o primeiro lugar no mundo com 12,9% dos 11,6 milhões de procedimentos.

Os números comprova que, mais do que nunca, todas as áreas estão favoráveis para tudo que envolve a desaceleração do envelhecimento, seja na área de estética ou da saúde. Além dos recursos que a tecnologia nos oferece para driblar os sinais do tempo, investir em uma rotina alimentar com elementos selecionados especialmente para agir intensamente a favor do rejuvenescimento é um ótimo recurso.

O QUE ACONTECE COM NOSSO CORPO?

Pode ser desafiador identificar o momento exato em que começamos a envelhecer. Afinal, o início desse processo é variável e sofre influência de diversos elementos, como a exposição a fatores estressantes, má alimentação e características genéticas individuais. No geral, ao longo dos anos, fica evidente a falta de conservação de nossas células e nossos órgãos. Com isso, muitas de nossas funções fisiológicas são alteradas e podem ficar mais lentas, quando comparadas a frases anteriores. Na mulher, esse processo tem grande relação com o período da menopausa. Nessa fase, hormônios sexuais, responsáveis fertilidade na fase adulta, são reduzidos. Essas mudanças são responsáveis pelas características do envelhecimento, principalmente com as alterações cutâneas, a redução da fertilidade e as alterações ósseas e no metabolismo energético.

Já no homem, esse período é denominado andropausa, que também acompanha sinais e sintomas, principalmente mediados pela redução do hormônio testosterona.

A atenção que precisamos ter com nosso físico nessa época não deve estar voltada apenas à área estética. A alteração hormonal pode predispor ao aumento do risco de algumas doenças infamatórias e metabólicas, como o câncer e doenças cardiovasculares. Portanto, o acompanhamento médico é fundamental.

ESFORÇOS NA MESA E COM EXERCÍCIOS

Sem dúvidas, a alimentação tem forte influência nessa etapa. Nossas células e órgãos necessitam de nutrientes, provenientes da alimentação, para os eu adequado funcionamento. Assim, maus hábitos alimentares e deficiências nutricionais geram alterações na homeostase desses órgãos, predispondo a uma série de distúrbios que podem causar ou acompanhar a fase de envelhecimento. Além disso, o estresse oxidativo aumentado pela alta exposição a fatores de esgotamento, toxinas e má qualidade alimentar colaboram de forma negativa para a saúde celular, antecipando a degeneração de diversos órgãos.

Os alimentos antioxidantes ganham destaque quando pensamos na progressão do tempo em nosso corpo. Isso ocorre porque eles equilibram o estado oxidativo, que, por sua vez, altera a composição celular e predispõe à sua senescência (velhice).

Lado a lado com um cardápio saudável está a atividade física, que, quando realizada de forma adequada e com a devida orientação, pode colaborar com o regresso do envelhecimento. No entanto, o esporte deve ser indicado por um profissional capacitado para que os resultados sejam favoráveis. É importante considerar que os benefícios da atividade física só são alcançados quando associados a um plano alimentar saudável.

FORA DO MENU

O hábito alimentar inadequado, de forma geral, predispõe ao avanço do envelhecimento. É conhecido que o consumo exacerbado de produtos refinados, como farinhas brancas e açúcar refinado, ingestão de álcool e contato com toxinas, aumenta o estresse oxidativo celular e, com isso, sua senescência.

O consumo de ácidos graxos saturados e trans, presentes em grande parte dos produtos industrializados, também altera a sinalização celular. Além disso, a deficiência de nutrientes antioxidantes como zinco, magnésio, silênio e vitaminas D e E pode predispor ao desgaste celular.

JÁ PARA GELADEIRA

Os alimentos oxidantes que colaboram com o progresso dos anos:

  • Licopeno: encontrado em alimentos avermelhados como o tomate.
  • Antocianinas: presentes em alimentos com coloração avermelhada como o morango, mirtilo e açaí.
  • Resveratrol: encontrado principalmente na uva.
  • Quercetina: presente na casca da cebola e maça.
  • Geral: o consumo de ácidos graxos essenciais como ômega 3 também é essencial para a saúde celular. Assim, o consumo de fontes como peixes de pequeno porte, linhaça e chia é válido, não apenas para o regresso do envelhecimento, mas também para a manutenção da saúde de nossas células e órgãos.

Fonte: Revista Saúde

Remedio-para-dor-de-cabeça

É quase impossível manter o humor quando aquela dorzinha de cabeça aparece. Algumas vezes, é crescente até nos deixar completamente comprometidos a ponto de não ser possível realizar algumas atividades. De acordo com a Sociedade Brasileira de Cefaleia (dor de cabeça), cerca de 13 milhões de pessoas em nosso pais apresentam dores de cabeça diariamente.

Além dos tratamentos alopáticos com medicamentos (que devem ser feitos sempre sob a orientação de um profissional e nunca com automedicação ou autotratamento), é possível amenizar o aparecimento das cefaleias com uma boa alimentação.

Os principais fatores desencadeantes das dores de cabeça ainda não estão esclarecidos e definidos completamente. Sabe-se que é influenciado por quadros de ansiedade, fadiga, emoções fortes, tensões diversas, alterações climáticas, iluminação inadequada, poluentes e maus hábitos alimentares. Alguns alimentos possuem em sua composição substâncias que agem diretamente no calibre dos vasos sanguíneos, diminuindo-os – causando a chamada vasoconstrição – e, posteriormente, aumentando-os, causando o que chamamos de vasodilatação. Essa frequência tem como resultado a tão conhecida enxaqueca.

Diversos alimentos contribuem para o desenvolvimento e a manutenção as dores de cabeça e precisam ser evitados com a finalidade de reduzir os sintomas. Os ingredientes que colaboram para o aparecimento das dores são alimentos embutidos (salsinha, linguiça e salames, por exemplo, por conterem nitratos e nitritos, que são substâncias que aumentam a dilatação dos vasos sanguíneos), refrigerantes à base de cola, café ou chá mate. Chocolate, vinho tinto, queijos duros, carnes defumadas, amendoim e frutas cítricas contêm tiramina, um elemento que libera prostaglandina, um hormônio responsável pela sensação de dor. Também é aconselhável evitar aditivos alimentares, como glutamato monossódico presente em temperos e alimentos industrializados, assim como bebidas espumantes e destilados em geral.

DE BEM COM A SAÚDE

Também é possível desenvolver uma lista de compras que podem ajudar a abrandar as dores e os incômodos. Não se esqueça de ter em casa a semente de abóbora, rica em magnésio, mineral importantíssimo no combate à enxaqueca e ansiedade, por ter participação ativa em processo de vasodilatação. O gengibre também é fundamental no tratamento das dores de cabeça musculares, pois atua como analgésicos e anti-inflamatório natural. Oferecendo alívio de enxaquecas.

O consumo de azeite de oliva extra virgem orgânico e de semente de linhaça pode ser indicado, uma vez que são ambos fontes de ácidos graxos essenciais que auxiliam no controle da dor. Alimentos fontes de selênio são antioxidantes, combatem os radicais livres e mantêm o bom funcionamento do sistema nervoso, evitando, assim, quadros de enxaqueca. O silênio é encontrado nas castanhas de caju e do Brasil, em nozes e também em frutos do mar. Ovos, iogurtes naturais e soja são fontes de lisina, um aminoácido que também atua nessa questão.

Não se esqueça de que períodos longos de jejum levam à redução do açúcar no sangue (hipoglicemia), que desencadeia a crise de enxaqueca. Sendo assim, faça refeições regulares e de alta qualidade nutricional, contribuindo para uma melhor qualidade de vida.

ATENÇÃO À ATM (Articulação Temporomandibular)

Algumas pessoas apresentam dores que estão totalmente ligadas ao problema de ATM, que liga à mandíbula à base do crânio e é responsável por seus movimentos. As causas de suas disfunções podem ser estresse, desalinhamento da mandíbula, anquilose (rigidez na articulação) e até mesmo pequenos acidentes na infância que são refletidos na fase adulta. Como consequência, nos casos mais típicos, ele provoca fortes dores de cabeça, estalos ao abrir e fechar a boca, zumbido e até vertigem. Cerca de 90% das patologias que atingem as ATMs são tratadas com correções dentárias ou placas rígidas de resina que ajudam a relaxara musculatura e fazer que a articulação volte à sua posição correta. Mas se o problema persistir, é necessário recorrer à cirurgia. O importante é sempre ter o acompanhamento de um especialista. (Consultoria: Dr. José Flávio Torezan, Bucomaxilofacial).

SINAIS DE ALERTA:

Os sintomas de dores de cabeça que precisam ser investigados por um especialista:

  • Dor diferente com mais de 50 anos
  • Dores progressiva ou nova, diária e persistente
  • Dor crônica e diária
  • Dores sem resposta ao tratamento
  • Dores de início, recente em pacientes com câncer ou HIV
  • Dores com convulsão
  • Dor de cabeça associada a sintomas com febre, rigidez de nuca, náuseas ou vômitos
  • Dores associadas a sintomas e sinais neurológicos
  • Dores associada a alterações cognitivas (conhecimento) e de personalidade.

saude-do-coração2

Não há mais nada mais prazeroso do que poder desfrutar de uma receita deliciosa sem colocar a saúde em risco. Sem dúvidas, o colesterol encabeça a lista dos principais males ligadas ao coração.

O colesterol é o tipo de gordura encontrado naturalmente em nosso organismo, sendo necessário para a produção dos hormônios, vitaminas D e ácidos biliares. Ele é apresentado em dois tipos: o HDL, considerado o “bom colesterol”, pois atua limpando a gordura acumulada nos vasos sanguíneos; e o LDL, o mau, assim denominado porque transporta a gordura do fígado para outros tecidos. Quando em excesso, é depositado na parede dos vasos, provocando o endurecimento e estreitamento e ocasionando o fenômeno da aterostrombose, maior causa de infarto do miocárdio e AVC (Acidente Vascular Cerebral).

Os níveis de colesterol encontra-se aumentados em pessoas com certas doenças, como o hipotireoidismo e doenças renais, por ação das drogas, e também nas patologias hereditárias, como a hipercolesterolemia família.

QUANDO COMEÇAR A CUIDAR E COMO?

A prevenção de doenças cardiovasculares deve ser iniciada ainda na infância, uma vez que anterosclerose, fenômeno do acúmulo de placas de gordura, tem início durante a vida fetal e continua na infância, adolescência e em toda a vida adulta. Assim, um dos fatores a ser combatidos é o colesterol.

Para isso, são necessárias mudanças de certos comportamentos. Ter uma alimentação saudável e balanceada com vitaminas, sais minerais e fibras é importantíssimo para a prevenção. Adotar um cardápio repleto de frutas, vegetais, legumes, cereais, congêneres (amêndoa e avelã), azeite de oliva, peixes de carne branca e carnes brancas é a primeira medida a ser tomada.

Outro fatos que colabora intensamente para o desenvolvimento do colesterol é o sedentarismo. Os exercícios feitos cerca de duas vezes por semana, complementados com atividades que aumentem a força muscular, são ótimos aliados do coração saudável. Quando, apesar das mudanças alimentares e atividade física, os níveis de colesterol não cedem, há a necessidade de associar tratamento farmacológico e a principal ferramenta no momento são as drogas chamadas de estatinas, que atuam diretamente no fígado. Outras drogas com outro mecanismo de ação podem complementar os efeitos das estatinas.

CRIANÇAS TEM TAMBÉM?

Infelizmente, os pequenos não ficam de fora da lista das vítimas do colesterol. Em crianças sem fatores de risco (antecedentes familiares e hipercolesterolemia familiar), recomenda-se dosagem de colesterol dos 9 aos 11 anos de idade, antes da puberdade, pois os níveis de LDL diminuem nessa fase, o ideal é repetir os exames entre os 17 e 21 anos. Àqueles que carregam fatores de risco, se as dosagens laboratoriais forem normais, será conveniente dosar o colesterol de cinco em cinco anos.

IMPORTANTE

  • Pratique exercícios físicos
  • Evite gorduras e alimentos ricos em gordura
  • Consuma mais vegetais e alimentos ricos em fibras
  • Descanse no período da noite
  • Evite atividades estressantes

download

Bochechas rechonchudas de crianças são verdadeiras tentações. Quem resiste a um pequeno com o rosto superfofo e dobrinhas espalhadas pelo corpo sem querer apertá-los? Grandiosidades à parte, precisamos ficar atentos aos sinais de obesidade logo nos primeiros anos – e até meses – de vida.

As últimas pesquisas do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) revelam que, entre as crianças brasileiras entre 5 e 9 anos, cerca de um terço já está acima do peso. Ao elevar a faixa etária, entre jovens de 10 a 19 anos, 20% apresentam sobrepeso.

No Brasil, o aumento de crianças acima do peso se deve, principalmente, ao estilo de vida inadequada (com má alimentação e sedentarismo) e à falta de orientação alimentar das famílias.

Várias são as perguntas sobre obesidade infantil:

Quando é necessário a se preocupar com o peso?

Desde o nascimento! Ações como aleitamento materno e alimentação complementar durante o primeiro ano de vida são fundamentais na prevenção da obesidade.

Juntamente aos cuidados do físico, deve-se ter um acompanhamento psicológico com as crianças?

Certamente! A ansiedade e a depressão infantis são causas (e consequências) da obesidade.

A partir de que idade a obesidade pode ser prevenida?

Logo após o nascimento. A alimentação adequada para a idade e a conscientização da família e escolha sobre hábitos nutricionais e estilo de vida saudável são fundamentais.

Como mudar os hábitos?

A troca de cardápio é emergencial com a oferta de mais frutas, legumes e verduras. É fundamental deixar de lado fast-food e comida processada e em conserva. Para a fase de adaptação, invista em sucos de fruta e insira vegetais dentro do feijão ou suflê. O paladar da criança deve se acostumar a esses novos sabores.

A hereditariedade influencia?

É importante, também, considerar os fatores genéticos – filhos de pais obesos têm maior propensão de ficar acima do peso, inclusive por seguir os hábitos alimentares, nem sempre adequados, da família.

Além do sobrepeso quais são as características de uma criança obesa?

Podem ocorrer comorbidades como diabetes mellitus tipo 2, hipertensão, sobrecarga articular e dificuldades de acompanhamento em atividades físicas no grupo, que gera o importante sentimento depressão decorrente, seja pela exclusão branda ou até pelo bullyng.

IMPORTANTE

Uma criança obesa tem chance maior de manter a obesidade na vida adulta. Segundo números da Universidade de São Paulo (UNIFESP), as chances de uma criança manter o sobrepeso é:

  • 15% aos dois anos de idade
  • 35% aos 5 anos
  • 50% aos 7 anos
  • 80% até os 10 anos

Quando e como os pais devem começar a pedir ajuda?

É importante que a criança tenha um pediatra para o acompanhamento do crescimento (inclusive o peso) desde os primeiros dia de vida. Esse profissional irá orientar os pais sobre os demais cuidados.

Fonte: Revista Saúde – Consultoria: Dr. Rubens Feferbaum, professor livre-docente em pediatria da Universidade de São Paulo e vice-presidente do Departamento de Nutrição da Sociedade de Pedriatria de São Paulo (SP)

 

Alivio-para-o-cancer

Mulheres que tiveram a doença podem se beneficiar da terapia morfoanalítica, que dá atenção tanto ao corpo quanto à mente.

Os meses depois da cirurgia para retirar um tumor na mama costumam ficar marcados por dor, ansiedade e até depressão.

Para minimizar esses sintomas, a fisioterapeuta Fernanda Pachioni testou, pela Universidade Estadual Paulista, em Presidente Prudente, a terapia morfoanalítica em dez voluntárias que haviam passado pela operação.

O método, criado em 1982 pelo francês Serge Peyrot, lida com aspectos psicológicos e físicos ao mesmo tempo.

“São feitos principalmente exercícios de respiração, ajuste postural e massagem”, resume Fernanda. Na pesquisa ela aplicou a terapia por 16 semanas e verificou queda no estresse e aumento na qualidade de vida das pacientes. Ainda foi observada uma melhora na flexibilidade do braço, que não raro é comprometida por esse tipo de cirurgia.

pao

Diminuir os níveis de triglicérides, gordura que, em excesso, congestiona as artérias, exige mudanças no estilo de vida. A principal delas é maneirar em carboidratos simples, como pães e massas. Curiosamente, esses itens são mais difíceis de evitar. Mas o esforço vale à pena. Substituir 10% das calorias vindas de carboidratos por gorduras insaturadas, encontradas em peixes e no abacate, por exemplo, já reduz de 10 a 20% a taxa de triglicérides.

Os mais difíceis: 56% – pães e massas; 19% doces e 12% carne vermelha.

proteinas-que-baixam-pressao

PROTEÍNAS QUE BAIXAM A PRESSÃO

Cientistas descobrem que alimentos ricos em certos aminoácidos – as moléculas que formam as proteínas – podem ser parceiros das artérias

O achado vem da Universidade East Anglia, no Reino Unido, onde cerca de 2 mil mulheres foram acompanhadas. “Encontramos fortes evidências de que aquelas que consumiam quantidades mais elevadas de sete aminoácidos específicos exibiam menores níveis de pressão arterial e rigidez dos vasos”, conta a professora de nutrição Aeden Cassidy, principal autora da pesquisa.

Segundo ela, essas partículas ajudam a liberar óxido nítrico, substância que dilata as artérias, facilitando o fluxo sanguíneo. Outra revelação interessante é que a origem desses aminoácidos parece modular sua atuação no sistema circulatório. Quando eles vêm de vegetais, o resultado é menor pressão nos vasos. Se forem provenientes de animais, deixam as artérias mais flexíveis.

Onde estão os aminoácidos do bem?

Nos vegetais – As sete moléculas estudadas pelos britânicos (arginina, cisteína, ácido glutâmico, glicina, histidina, leucina e tirosina) estão em alimentos como feijão, arroz integral, abacate e amêndoas.

Nos animais – Três desses aminoácidos analisados – ácido glutâmico, leucina e tirosina – também podem ser encorpados à dieta por meio de carne vermelha, pescados e lácteos.

Fonte: saude.com.br

ceviche-54

VIVA O CEVICHE

O prato peruano é boa pedida para elevar o consumo de peixe.

Quando você cogita comer mais pescados, como orientam os nutricionistas logo pensa em empanar e fritar? Pois saiba que há maneiras mais saudáveis de aproveitar a riqueza nutricional dos peixes. Uma delas e investir no ceviche, prato típico do Peru feito com o alimento cru e marinado no suco de limão. “A vantagem é que o valor calórico da receita tende a ser baixo. Fora que ela garante mais saciedade”, avalia Roseli Ueno, nutricionista de São Paulo.

Conheça seus benefícios:

Peixe branco – É rico em proteínas e pobre em gorduras. Robalo e linguado são ótimas opções.

Cebola roxa- O vegetal é cheio de flavonoides, antioxidantes muito poderosos.

Coentro e limão – Além de ter vitaminas e antioxidantes, a dupla confere uma explosão de sabor ao prato.

Batata-doce – É excelente fonte de carboidrato. Como tem fibras, não gera picos de glicose.

Fonte: saude.com.br

HOMUS

HOMUS

O homus, à base de grão-de-bico, também exibe fibras (não tanto quanto o bagaganuche) e reúne pouca gordura.

Energia – 144 calorias
Proteínas – 6 g
Carboidratos – 38 g
Gordura totais – 7 g
Gordura saturada – 0,3 g
Fibras – 2 g

2

SÓ EMAGRECE QUEM TENTA

Penar que é simplesmente impossível peso faria a barriga inflar mais

Existem, claro, pessoas que engordam com maior facilidade. Mas a simples crença de que não dá para alterar a forma física pode contribuir para a gordura se acumular ainda mais. Uma equipe da Texas Tech University, nos Estados Unidos, avaliou o estilo de vida de 8.821 pessoas e constatou que aqueles que encaravam os genes como únicos influenciadores do peso tendinha a comer pior e a se exercitar menos. Eles também exibiam um índice de massa corporal maior quanto comparados a indivíduos ou viam um potencial emagrecedor nas suas escolhas diárias.

É impossível saber quem veio primeiro: o pensamento de que o peso é puramente genético ou o comportamento pouco saudável. Mas é provável que um estimule o outro, diz o psicólogo Michael Parent, autor do levantamento. Não podemos esquecer que nós temos a capacidade de melhorar nossa vida.

QUANDO OS HÁBITOS NÃO DÃO CONTA

Alguns azarados, apesar da rotina regrada, acabam ficando rechonchudos. Mas aí que que está: se não se preocupassem com seu corpo, provavelmente estariam em uma situação ainda mais complicada. Hoje em dia, essa turma pode recorrer aos médicos que, dependendo do caso, receitam remédios ou até cirurgias. Mesmo com um DNA desfavorável, dá para vencer a balança.

SEM DESCULPA

Acreditar que só a genética influi no peso faz o sujeito.

VER MENOS RÓTULOS

E é só observando a tabela nutricional que você identifica e o teor engordativo de um item à venda no mercado.

TER POUCOS VEGETAIS DISPONÍVEIS NA CASA

Aí, restam pouca opções magras e nutritivas para matar a fome, não é?

COMER MAIS EM RESTAURANTES

Nesses lugares, o risco de exagerar e escolher pratos calóricos aumenta.

NÃO SE EXERCITAR

A atividade física rotineira torra calorias aos montes. Sem ela, manter a forma é uma situação difícil.

Fonte: Revista Saúde – Editora Abril

← Voltar ao início